Pesquise nome assunto

pesquise aqui nome ou assunto desejado.
Quem entra nessa de genealogia é preso pelos antepassados nos seus tempos e de lá não consegue mais sair!
Fazer pesquisas genealógicas e fazer uma viagem no tempo.

domingo, 11 de fevereiro de 2007

TOMÉ MARTINS RIBEIRO, nosso avô.

Tomé Martins Ribeiro, natural de Santo André do Sobrado Bispado de Arraifama de Souza, filho de Antonio Martins da Costa e Maria Pinta casou, em primeiras núpcias em 02.02.1780 com Maria Inácia de Jesus, natural de Campanha-mg, filha de José Antônio Rolim de Moura e de Maria Barbosa de Lima, conforme assento abaixo:
.

“Campanha-MG - casamentos - fls. 13, aos 02-02-1780 Ermida de S. Jose do Rio Verde, Thomé Martins Ribeiro, f.l. de Antonio Martins da Costa e Maria Pinta, n. da freguesia de Santo André do Sobrado asima do Valongo Bispado de Arrifama de Souza; = com D. Maria Inacia de Jesus, f.l. de Jose Antonio Rolim de Moura e D. Maria Barbosa de Lima, n/b na freguesia da Campanha.”

Tomé e Maria Inácia tiveram que documentamos os filhos:

I- Bárbara Perpétua Emiliana, batizada aos 30-06-1784 em Campanha, onde aos 25-04-1803 casou-se com Manoel Antonio da Silva, filho de Manoel* da Silva Passos e Quitéria Maria Rodrigues. (* Matheus segundo SL. 2º, 530, 8-8).

Assento:

Campanha-MG - batismos justificação - aos 30-06-1784 BARBARA, f.l. de Thomé Martins Ribeiro e s/m Ignacia de Jesus, avós paternos Antonio Martins da Costa e Maria Pinta; maternos Jose Antonio Rolim e Oliveira e Maria Barbosa de Lima; padr.: João Antonio de Azevedo, casado e Maria Josefa, solteira, filha do Cap. Domingos Dias de Barros.

Campanha-MG - casamentos - fls. 135v. aos 25-04-1803 Manoel Antonio da Silva, f. de Manoel(sic) da Silva Passos, já falecido e s/m Quiteria Maria Rodrigues = Barbara Perpetua Emiliana, f. de Thome Martins Ribeiro e s/m Maria Ignacia de Jesus. Nts/bts nesta.

II-Escolástica Joaquina do Monte Cassino, (também conhecida como Escolástica Joaquina Ribeira, como consta na obra de Tomé e Manoel dos Santos Brandão, sobre Cambuquira) aos 21-04-1803 casou-se com Vicente da Silva Leme, filho de José da Silva Leme e Rosa Maria Goulart.

Assento: “Campanha-MG - casamentos - fls. 135 aos 21-04-1803 Vicente da Silva Leite [rasurado para Leme], f. de Jose da Silva Leme e Rosa Maria Gularte = Escolastica Joaquina do Monte Casino, f. do Alferes Thome Martins Ribeiro e Maria Ignacia de Lima. Nts/bts nesta.”

III- Maria Inácia de Lima, aos 26-08-1804 casou-se com Manoel Ferreira Campanhã, filho de Manoel Ferreira Campanhã e Brigida Sobrinha de Aguiar.

Campanha-MG - casamentos - aos 26-08-1804 Manoel Ferreira Campanham, f. de Manoel Ferreira Campanham e Brigida Sobrinha de Aguiar = Maria Ignacia de Lima, f. do Alferes Tome Martins Ribeiro e Maria Ignacia de Lima. Bts. nesta.

IV- Tomé Martins Ribeiro, aos 18-06-1801, casou-se com Maria Joaquina da Silva, filha do Furriel José da Silva Leme e Rosa Maria Goulart (ou Gularte)

Campanha-MG - casamentos - fls. 105 matriz aos 18-06-1801 Thome Martins Ribeiro, f.l. do Alferes Thome Martins Ribeiro e s/m D. Maria Ignacia de Jesus, já falecidos, = Maria Joaquina da Silva, filha do Furriel Jose da Silva Leme e de s/m Rosa Maria Golarte. Nts/bts na freguesia da Campanha.

Alferes Tomé teve, com Maria Correa de Santa Ana, os filhos naturais, q.d.:
- Luciana Maria Rosa aos 19-101785 casou-se com Antonio de Araújo de Abreu, filho de João de Araújo de Abreu e Cipriana Antonia Rates.
Assento:

Campanha-MG - casamentos -. aos 19-10-1785 Antonio de Araujo de Abreu, f.l. de João de Araújo de Abreu e de Cipriana Antonia Rates, n/b na freguesia de S. João del Rei; = Luciana Maria Roza, filha natural do Alferes Thome Martins Ribeiro e de Maria Correa de S. Anna, n/b nesta freguesia.

- Tomásia Martins Ribeira, aos 21-10-1789, casou-se com Joaquim José Rodrigues, filho natural de Clara Maria do Nascimento.
Assento:

Campanha-MG - casamentos - matriz aos 21-10-1789 Joaquim Jose Rodrigues, f. natural de Clara Maria do Nascimento, já falecida; = Thomasia Martins Rybeira, f. natural do Alferes Thome Marttins Ribeiro e Maria Correa de Sancta Anna. Ambos os contraentes nts/bts
nesta.

Alferes Tomé Martins Ribeiro, viúvo de Maria Inácia de Jesus, sua primeira esposa, casou-se novamente, desta vez com Antonia Marcelina da Silva, natural das Lavras do Funil, na Capela dos Santos Corações de Jesus aos 02-08-1789.

Campanha-MG - casamentos - aos 02-08-1789 na capela dos Santos Corações de Jesus desta freguesia da Campanha, Alferes Tome Martins Ribeiro, viúvo que ficou de D. Maria Ignacia de Lima; = D. Antonia Marcelina da Silva, f.l. do Cap. Germano Jose da Silva e D. Maria de Nazaret, n/b na freguesia de Lavras do Funil.

O alferes Tomé Martins Ribeiro, filho de Antônio Martins da Costa, irmão de Tomé Martins da Costa, considerado o fundador de Três Corações.
Em trabalho de tese postado na internet, aponta o nosso avô Alferes Tomé Martins Ribeiro como um dos fundadores daquela cidade. Certo ou não, os dois deveriam ter, além dos laços de sangue, muita amizade já que o sobrinho foi o testamenteiro do tio, do qual deve ter herdado parte das terras onde hoje está a cidade de Cambuquira.
Essa hipótese é reforçada pela presença de alguns membros da família Martins Ribeiro na história de nossa cidade, inclusive com união com Silva Lemes.

Tomé Martins da Costa conseguiu do governo português autorização para explorar as barrancas do Rio Verde onde hoje se localiza a cidade de Três Corações, e lá construiu a primeira igrejinha do local, que depois foi demolida pelo seu genro que construiu outra no local onde se localiza a atual Igreja Matriz Católica do município. Por essa obra, ele é considerado aquele que criou o ponto inicial para que o lugar virasse a cidade que é hoje.
Tomé Martins da Costa, deixou um testamento onde discriminava sua lápide: “....Meu corpo será amortalhado em hábito de minha venerável ordem de Nossa Senhora do Monte do Carmo, e sepultado na Capela dos Sacratíssimos Corações de Jesus, Maria e José da Real Passagem do Rio Verde, ou em outra Igreja ou Capela que for mais vizinha à paragem onde falecer....” Mas, em algum lugar qualquer pode-se ler: “Aqui jaz o capitão Tomé Martins da Costa. Nas barrancas do rio verde em um lugar qualquer. Não pede nada a ninguém. Não pede flores, nem rezas, mas pode rezar se quiser.”
Depois de sua morte, em 1786 seu genro, Cap. Domingos Dias Barros, chega de Portugal e requer parte de seus bens para aliená-los e pagar dívida com a coroa.
A filha de Domingos Dias Barros, foi madrinha Bárbara, a filha mais velha de nosso avô Tomé Martins Ribeiro, sobrinho de Tomé Martins da Costa.

Com o casamento de sua filha,acima, Escolástica (em destaque acima) com VICENTE DA SILVA LEME, já identicado em texto postado neste blog, vieram os seus diversos netos, entre os quais José Vicente da Silva Lemes, Antônio Joaquim da Silva Leme, Tomé da Silva Lemes e outros que são as base de vários Silva Lemes, e Lemes, de Cambuquira e região.
Tomé Martins Ribeiro, um dos nossos avós antepassados.

Fontes: Site da Prefeitura de T.Corações; Cambuquira,por Tomé e Manoel dos Santos Brandão, Tomas Martins da Costa (José Guimarães) e Trabalho de Pesquisa do Projeto Compartilhar de Bartyra Sette e Regina Junqueira.

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Servidor Público, Bel em Direito, gosto de genealogia.